quarta-feira, abril 13, 2005

GAROTOS DE ÓCULOS DE ARO GROSSO

Eram anos interessantes aqueles dos jogos de bocha e crianças marcadas pelas sombras das grades dos portões da minha casa.
-Mamãe, O shopping center é praticamente isolado do resto da cidade, não? Aqui dentro tem regras próprias como não fumar ou não filmar. Ninguém nunca viu alguém de dentro de um shopping sem ter estado lá dentro. É como uma caverna isolada do resto do mundo. Um lugar onde pessoas ricas passeiam. É como o Vaticano no meio de Roma não?

O cinzeiro em cima do Joyce e Houaiss fica do tamanho exato da banheira. Ajustadamente propício.
Hoje não rola nunca mais.

Longe daqui ele sentado no vaso aperta com os dedos do pé o tapete. Cospe. Uma veia saltatita no pescoço. Ele força, seu estômago de pedra calcária. Seu ânus se abre como um grito de animal e um enorme monstro negro salta à latrina. Ainda metade dentro. Força. Nada de cortar na metade. Dói. muito. Finalmente.
descansa intrépido. Vê pequenas luzes trafegarem como que papel manteiga. outro universo. Bem bonitinho. Momento terno.

Teve aquela época, em que ninguém era gay. Ele se deixava encoxar jogando futebol com pinha na saída. Sempre brigava com o mesmo moleque. E imaginava o pau mole e branquiça dele endurecendo entre seus dentes.

E então a maconha. Os grooves. Os samples. Os synth. Os delay e tunts-tunts.
O delegado o encarava com cara feia de bigode. Ele calmamente abaixa-lhe as calças e chupa-lhe engatinha encarecidamente. Logo libertará o rapazote. Posse de um fino nunca deixou ninguém na cadeia mais que uma noite. Tudo depende do bom gosto. Este rapaz é muito cheiroso.

4 Comments:

Anonymous marcell said...

hum...
acho q entendi de onde veio sua inspiração !

9:31 AM  
Anonymous marcell said...

hum...
acho q entendi de onde veio sua inspiração !

9:32 AM  
Anonymous rosália. said...

desculpe a invasão. seus contos me lembram um pouco do rubem fonseca. um rubem fonseca mais... hum... (terno?) e alternativo.

9:46 PM  
Anonymous Thiago said...

My man, acho que as coisas sempre estiveram à beira de um colapso. Apenas nós, estúpidos e facilmente cansáveis é que não nos demos conta. Abrax.

3:56 PM  

Postar um comentário

<< Home

Acessos: